11 – Teologia – Ética Ministerial – Ap Yves Garcia

Esta é uma palavra fiel: se alguém deseja o episcopado, excelente obra deseja. Convém, pois, que o bispo seja irrepreensível, marido de uma mulher, vigilante, sóbrio, honesto, hospitaleiro, apto para ensinar; Não dado ao vinho, não espancador, não cobiçoso de torpe ganância, mas moderado, não contencioso, não avarento; Que governe bem a sua própria casa, tendo seus filhos em sujeição, com toda a modéstia (Porque, se alguém não sabe governar a sua própria casa, terá cuidado da igreja de Deus?); Não neófito, para que, ensoberbecendo-se, não caia na condenação do diabo. Convém também que tenha bom testemunho dos que estão de fora, para que não caia em afronta, e no laço do diabo. Da mesma sorte os diáconos sejam honestos, não de língua dobre, não dados a muito vinho, não cobiçosos de torpe ganância; Guardando o mistério da fé numa consciência pura. E também estes sejam primeiro provados, depois sirvam, se forem irrepreensíveis. Da mesma sorte as esposas sejam honestas, não maldizentes, sóbrias e fiéis em tudo. Os diáconos sejam maridos de uma só mulher, e governem bem a seus filhos e suas próprias casas. Porque os que servirem bem como diáconos, adquirirão para si uma boa posição e muita confiança na fé que há em Cristo Jesus. 1 Timóteo 3:1-13.

É perceptível notar a importância da Ética dentro do contexto Cristão, por exemplo, basta ser noticiado algum escândalo envolvendo Líderes Cristãos, que ganha grande proporção, por existir um valor ligado a essa imagem. Sabermos que o erro de caráter não é um problema Cristão, mais da natureza de todo ser humano. A Cobrança para uma vida de caráter vem primeiramente da Bíblia (2Tm3:17). Líderes poderão ser confrontados para voltar aos princípios (Gl2:11), não devemos ser excessivamente tolerantes, nem excessivamente julgativos.

A Bíblia mostra um rigor maior em relação aos líderes (Tg3:1). Ter uma vida conhecida do público, é ter esta mesma vida sujeita a julgamentos dos outros. (1Pe5:3), O Pecado do Príncipe em Levítico se compara ao pecado de toda a congregação. (Lv 4:13-26). Talvez para aliviar um pouco a cobrança moral, às vezes essas cobranças no meio da Igreja e da sociedade são exageradas, por vezes as críticas beiram mais a maledicência do que realmente uma cobrança equilibrada. Não devemos esquecer que a vida cristã é um processo, para sermos continuamente aperfeiçoados pela palavra do SENHOR e pelas circunstâncias. (Sl 119:67, 1Co3:18, 2Tm3:14-17).

O caminho do Líder sofre um continuo e acelerado aperfeiçoamento, (Sl18:32). É mandamento para que todo líder busque a excelência (2Tm3:17), sabermos que mesmo assim o líder não é isento de falhas, e muitas vezes é perversamente cobrado e acusado sem haver misericórdia dos acusadores, tudo o que não for feito em amor não procede de D’us, e as críticas, muito menos.     

Em Nosso Fraterno Shalom,

Yves Marcel Garcia e Quécia Brandão Garcia

11 – Teologia – Ética Ministerial – Ap Yves Garcia
Anúncios