E Ele se aproximou (Vaigásh) – por Ap. Yves Garcia

Leia: Gênesis 44:18-47:27 (Parashá – Porção)

Ezequiel 37:15-28, Lucas 6: 9-16 (Haftará – Profetas, Escritos e o Novo Testamento)

Continuamos nossa jornada com a discussão entre José e Judá, Pois José queria que Benjamim ficasse e os outros fossem buscar o pai (Jacó), logo Judá explica que não poderiam ir, pois, seus irmãos haviam prometido ao seu pai que nada aconteceria com Benjamim, e Jacó seu pai não suportaria vê-los retornar para casa sem Benjamim, e morreria com profunda tristeza, essa atitude
nos mostra que Judá e os demais irmãos mudaram, ou seja, estavam dispostos a reparar o erro que causaram ao venderem José, e reconheceram sua culpa pela “morte” de José. Logo, José dá-se a conhecer aos seus irmãos, sendo essa passagem das escrituras, uma das mais emocionantes. José Relata em Genesis 45: 5, que D-us havia conservado ele no Egito como uma estratégia para preservar sua vida, em decorrência do propósito de fazê-lo prosperar no Egito e Ajudar seu povo no momento de fome. Gênesis 45:26-27 Então lhe anunciaram, dizendo: José ainda vive, e ele também é regente em toda a terra do Egito. E o seu coração desmaiou, porque não os acreditava. Porém, havendo-lhe eles contado todas as palavras de José, que ele lhes falara, e vendo ele os carros que José enviara para levá-lo, reviveu o espírito de Jacó seu pai. Aqui vemos que Jacó não acreditava mais nos filhos, acredito por entender que foram responsáveis pela morte de “José”, mas, no verso 27 por ver os carros que José enviara entende verdadeiramente que José estava vivo, talvez algum ornamento nos carros, fizeram Jacó ter certeza que seu filho estava vivo. Após a notícia, Jacó vai com toda sua família para o Egito, e Ficam na terra de Gósem. Irmãos nesse acontecimento, vemos uma das mais importantes lições de vida: o PERDÃO, José poderia ter revidado e pago o mal feito pelos seus irmãos não dando alimento, mas ele paga o mal com o Bem, e é assim como D-us age conosco, quando praticamos muitos pecados e o que Ele fez? Condenou-nos? Puniu-nos? Não! Sempre que nos arrependemos e estamos dispostos a mudar e não praticar o pecado novamente D-us sempre nos perdoa e não nos puni quando deveríamos ser punidos, que hoje possamos pensar em quantas pessoas já nos causou mal ou estão nos causando problemas, que não hajamos como pessoas sem misericórdia, mas que possamos aproveitar a ocasião que era para pagar o mal com o mal, e pagar o mal com o Bem! Pois somente assim poderemos chegar ao nível de Santidade e a semelhança como Filhos de D-us Yeshua que manifestou em carne todo Amor e Misericórdia do Único e Eterno D-us. Pense Nisso: na próxima vez que alguém lhe trair, lhe caluniar ou te roubar, lembre-se que é a oportunidade para você orar pela salvação daquela vida, conceder perdão, se aperfeiçoando e subindo um degrau na escala de santidade e crescimento espiritual. Essa é a única forma de saber como está nosso nível de Espiritualidade e se verdadeiramente o Espírito Santo de D-us Habita em Nós.

Fazendo uma Correlação (Midrash) – Haftará

 

Ezequiel 37:15-28

E outra vez veio a mim a palavra do SENHOR, dizendo: Tu, pois, ó filho do homem, toma um pedaço de madeira, e escreve nele: Por Judá e pelos filhos de Israel, seus companheiros. E toma outro pedaço de madeira, e escreve nele: Por José, vara de Efraim, e por toda a casa de Israel, seus companheiros. E ajunta um ao outro, para que se unam, e se tornem uma só vara na tua mão. E quando te falarem os filhos do teu povo, dizendo: Porventura não nos declararás o que significam estas coisas? Tu lhes dirás: Assim diz o Senhor D-US: Eis que eu tomarei a vara de José que esteve na mão de Efraim, e a das tribos de Israel, suas companheiras, e as ajuntarei à vara de Judá, e farei delas uma só vara, e elas se farão uma só na minha mão. E as varas, sobre que houveres escrito, estarão na tua mão, perante os olhos deles. Dize-lhes pois: Assim diz o Senhor D-US: Eis que eu tomarei os filhos de Israel dentre os gentios, para onde eles foram, e os congregarei de todas as partes, e os levarei à sua terra. E deles farei uma nação na terra, nos montes de Israel, e um rei será rei de todos eles, e nunca mais serão duas nações; nunca mais para o futuro se dividirão em dois reinos. E nunca mais se contaminarão com os seus ídolos, nem com as suas abominações, nem com as suas transgressões, e os livrarei de todas as suas habitações, em que pecaram, e os purificarei. Assim eles serão o meu povo, e eu serei o seu D-us. E meu servo Davi será rei sobre eles, e todos eles terão um só pastor; e andarão nos meus juízos e guardarão os meus estatutos, e os observarão. E habitarão na terra que dei a meu servo Jacó, em que habitaram vossos pais; e habitarão nela, eles e seus filhos, e os filhos de seus filhos, para sempre, e Davi, meu servo, será seu príncipe eternamente. E farei com eles uma aliança de paz; e será uma aliança perpétua. E os estabelecerei, e os multiplicarei, e porei o meu santuário no meio deles para sempre. E o meu tabernáculo estará com eles, e eu serei o seu D-us e eles serão o meu povo. E os gentios saberão que eu sou o SENHOR que santifico a Israel, quando estiver o meu santuário no meio deles para sempre. Deparamos-nos com uma das mais lindas promessas de amor de D-us para com seu povo e para com as nações, observamos como um dia ele irá reunir todos os dispersos de Israel e Judá, e uni-los em um só povo, onde serviram a um só rei, acredito que verdadeiramente que o tabernáculo no meio dos homens seja Yeshua (João 1), e quando houver a restauração de todas as coisas, então Israel absolutamente andará na Sabedoria da Torá. Sabemos que há um propósito divino para que Israel estivesse na diáspora, pois com isso o conhecimento do Único D-us pôde ser anunciado, de qualquer forma quero aqui relacionar a grande revelação deste texto com porção de Gênesis, que assim como José num determinado momento foi a peça chave para Unir as Tribos novamente, assim na vinda do Messias Yeshua ele irá unir novamente os dispersos da casa de Judá e Israel e serão para todo o sempre uma só nação, e as Nações enxertadas em Israel ( Romanos11), serviram ao Único D-us e testemunhando que Ele é quem Santifica seu Povo. Assim da mesma forma que José concedeu perdão aos seus irmãos e os reuniu, O Messias concede perdão na sua primeira vinda, para na segunda vinda Estabelecer o Reino de Justiça, Paz e Alegria. E Reunir seu Povo Israel e as Nações.

Você Sabia?

Que a função de pastorear era abominação aos Egípcios? Talvez esse fosse o motivo de José usar esse argumento diante de Faraó para que a sua família ficasse em posição relativamente isolada, isso os preservaria do paganismo da Cultura-religiosa do Egito. 

Anúncios

Deixe uma resposta