Beshalach (Quando Ele Enviou) por Ap. Yves Garcia

Leia: Êxodo 13:17-17:16 (Parashá – Porção)

Juízes 4:4-5-31 João 6:22-40 (Haftará – Profetas, Escritos e o Novo Testamento)

Êxodo 13:6-9

Sete dias comerás pães ázimos, e ao sétimo dia haverá festa ao SENHOR. Sete dias se comerá pães ázimos, e o levedado não se verá contigo, nem ainda fermento será visto em todos os teus termos. E naquele mesmo dia farás saber a teu filho, dizendo: Isto é pelo que o SENHOR me tem feito, quando eu saí do Egito. E te será por sinal sobre tua mão e por lembrança entre teus olhos, para que a lei do SENHOR esteja em tua boca; porquanto com mão forte o SENHOR te tirou do Egito.

Como é profunda a palavra de D-us, este texto nos ensina como verdadeiramente

celebrarmos uma festa ao Senhor Nosso D-us, é necessário SANTIFICAÇÃO, não podemos viver de qualquer maneira e não termos a consciência que o Senhor É Santo, por isso Ele pede ao povo que saia do Egito, para poder no deserto se revelar de maneira Especial, dessa forma Ele tiraria toda a dependência que o povo tinha ainda nos Egípcios e começaria a ensinar o povo uma das lições mais dura e mais bela do relacionamento com D-us, nem só de pão Viverá o homem! Assim, D-us sempre que necessário nos permite passar por desertos em nossas vidas para tirar de nós o perfeito louvor e atitudes que verdadeiramente agradem ao Senhor, como Celebrar uma Festa ao Senhor? Com toda a certeza quando nos santificamos tirando de nós o “deserto” este mundo o “Egito” que é tudo aquilo que me afasta de D-us, estou celebrando uma festa ao D-us VIVO, por isso devermos tirar todo tipo de “FERMENTO” que é o símbolo do Pecado, para não vivermos separado de D-us, aqui vai uma revelação, quando D-us nos chama não devemos deixar a massa fermentar, não devermos esperar, e sim, correr, pois quando a massa fermenta o pecado já se instalou. 

Êxodo 14:31

E viu Israel a grande mão que o SENHOR mostrara aos egípcios; e temeu o povo ao SENHOR, e creu no SENHOR e em Moisés, seu servo.

Nesta passagem vemos que após a travessia do Mar, D-us confirma seu Poder e seus Propósitos diante do povo e mostra que Moises era o líder escolhido para conduzi-los, essa passagem nos ensina muito, principalmente em relação aos propósitos de D-us que não podem ser frustrados, mostrando que o Eterno está no controle da situação, basta que sejamos fieis ao propósito, como disse Jesus, ser Fiel até a Morte e te darei a coroa da vida. Aqui duas curiosidades, a primeira diz respeito a quando Moises iria sair do Egito, dizem os sábios da Torá, que Moises ao saber que o caixão de metal com o corpo de José havia sido jogado no rio Nilo, ele clama e diz: José para cumprir a palavra de que nenhum patriarca ficará no Egito, eu te digo: chegou a hora de partir, e em seguida o caixão aparece e ele dar início a saída do povo, isso nos Ensina como D-us tem preservado o povo Judeu, e o Amor que D-us manifesta para com os Patriarcas. Uma segunda curiosidade diz que quando o povo se desesperou por ver o mar adiante e os carros de faraó atrás deles Moisés pergunta a D-us o que fazer? E O Senhor responde: dia ao Povo que Marche, e Naason filho de Aminadab foi o primeiro a obedecer às ordens de Moises, começou a marchar dentro do mar quando a água chegar na altura do queixo o Milagre acontece da parte de D-us, e se abre o Mar, e o povo passar por pés enxutos, mostrando que quando D-us nos dar uma ordem termos que ir sem temer pois quando tudo parece acabado, ele vem e muda o inesperado. Pense nisso!

Êxodo 15:25-26

E ele clamou ao SENHOR, e o SENHOR mostrou-lhe uma árvore, que lançou nas águas, e as águas se tornaram doces. Ali lhes deu estatutos e uma ordenança, e ali os provou. E disse: Se ouvires atento a voz do SENHOR teu Deus, e fizeres o que é reto diante de seus olhos, e inclinares os teus ouvidos aos seus mandamentos, e guardares todos os seus estatutos, nenhuma das enfermidades porei sobre ti, que pus sobre o Egito; porque eu sou o SENHOR que te sara.

Logo após o povo passar pelo mar e entoar um cântico de celebração e exaltação aos Feitos de D-us, na sequencia de todos esses feitos, se deparam com num lugar onde as águas eram amargas, deste modo não compreenderam como D-us trabalha para moldar o homem, e murmuraram de Moises, acredito que se houvessem pedido por necessidade e não desdenhando da autoridade de Moises, teriam recebido boa água. Aqui vai uma revelação profunda, sempre que nos deparamos com situações adversas devemos ter uma compreensão que poucos servos têm, de que toda tribulação visa nos manter na dependência e obediência a D-us, ou seja, não murmure quando estiver em situação adversa, procure entender que D-us permiti tais situações para um propósito maior em nossas vidas.

Êxodo 16:4

4 – Então disse o SENHOR a Moisés: Eis que vos farei chover pão dos céus, e o povo sairá, e colherá diariamente a porção para cada dia, para que eu o prove se anda em minha lei ou não.

Um dos propósitos de D-us nos sustentar não está ligado apenas um mero sustendo físico, mas que esse sustendo nos leve a um reconhecimento profundo de quem Ele é, o que Ele representa e quais os reais propósitos que ele tem para nossas vidas. Deste modo os Israelitas neste contexto achavam que D-us era um gênio da lâmpada que quando precisassem dEle ele rapidamente como um “escravo” deveria obedecer, mas o real motivo de D-us nos mandar todos os mantimentos diários é para apreendermos OBEDECER a sua vontade e o buscarmos por Amor a sua presença.

Fazendo uma Correlação (Midrash) – Haftará

João 6:22-40

No dia seguinte, a multidão que estava do outro lado do mar, vendo que não havia ali mais do que um barquinho, a não ser aquele no qual os discípulos haviam entrado, e que Jesus não entrara com os seus discípulos naquele barquinho, mas que os seus discípulos tinham ido sozinhos (Contudo, outros barquinhos tinham chegado de Tiberíades, perto do lugar onde comeram o pão, havendo o SENHOR dado graças). Vendo, pois, a multidão que Jesus não estava ali nem os seus discípulos, entraram eles também nos barcos, e foram a Cafarnaum, em busca de Jesus. E, achando-o no outro lado do mar, disseram-lhe: Rabi, quando chegaste aqui? Jesus respondeu-lhes, e disse: Na verdade, na verdade vos digo que me buscais, não pelos sinais que vistes, mas porque comestes do pão e vos saciastes. Trabalhai, não pela comida que perece, mas pela comida que permanece para a vida eterna, a qual o Filho do homem vos dará; porque a este o Pai, Deus, o selou. Disseram-lhe, pois: Que faremos para executarmos as obras de Deus? Jesus respondeu, e disse-lhes: A obra de Deus é esta: Que creiais naquele que ele enviou. Disseram-lhe, pois: Que sinal, pois, fazes tu, para que o vejamos, e creiamos em ti? Que operas tu? Nossos pais comeram o maná no deserto, como está escrito: Deu-lhes a comer o pão do céu.  Disse-lhes, pois, Jesus: Na verdade, na verdade vos digo: Moisés não vos deu o pão do céu; mas meu Pai vos dá o verdadeiro pão do céu. Porque o pão de Deus é aquele que desce do céu e dá vida ao mundo. Disseram-lhe, pois: SENHOR, dá-nos sempre desse pão.  E Jesus lhes disse: Eu sou o pão da vida; aquele que vem a mim não terá fome, e quem crê em mim nunca terá sede. Mas já vos disse que também vós me vistes, e contudo não credes. Todo o que o Pai me dá virá a mim; e o que vem a mim de maneira nenhuma o lançarei fora. Porque eu desci do céu, não para fazer a minha vontade, mas a vontade daquele que me enviou. E a vontade do Pai que me enviou é esta: Que nenhum de todos aqueles que me deu se perca, mas que o ressuscite no Ultimo dia. Porquanto a vontade daquele que me enviou é esta: Que todo aquele que vê o Filho, e crê nele, tenha a vida eterna; e eu o ressuscitarei no último dia.

Nesta passagem do evangelho quero destacar algo importante, assim como no deserto o povo buscava a D-us apenas pelo sustento físico, aqui na passagem do Milagre da multiplicação, Jesus atesta que o motivo que Ele estava sendo procurado não era por Amor a Ele, mas as pessoas queriam apenas buscar a D-us pelo beneficio material, ignorando o verdadeiro sentido de D-us enviar seu filho para todo o  pecador que se arrependa e se volte de todo o coração para o seu Criador, deste modo Jesus tipifica esse pão, agora trazendo o Pão Espiritual, que verdadeiramente e absolutamente satisfaria fome daqueles que realmente estão com fome, fome de D-us, fome de cura, fome de Amor, Fome de relacionamento com o criador, fome de Justiça, Fome de fazer e viver dentro dos propósitos do Reino dos Céus.

Você Sabia?

Que Ibn Ezra diz que o maná foi o maior de todos os milagres, até maior que abertura do mar? Pois a abertura aconteceu em um único episodio e o maná caiu do céu quarenta anos para sustentar o povo, ou seja, comiam milagre todos os dias, que tal nós que estamos enfrentando o “deserto” dessa vida buscarmos aquele que de fato é o verdadeiro Maná de D-us, Jesus O Messias que vem do Céu.

Anúncios

Deixe uma resposta